Make your own free website on Tripod.com

Masturbação

 

1. O que é a masturbação?

  • A masturbação é a estimulação deliberada do próprio genital para conseguir o prazer sexual.
  • É feita ocasionalmente por uma maioria de homens e de mulheres. Em um estudo nos Estados Unidos constatou-se que 95 por cento dos homens e 89 por cento das mulheres masturbavam.
  • É o primeiro ato sexual para a maioria dos homens e das mulheres, embora mais mulheres do que homens chegam no ato sexual com um parceiro antes que elas façam a masturbação.
  • A maioria de homens tendem a masturbar mais freqüentemente do que mulheres.
  • 80 por cento dos homens experimentam o orgasmo quando eles masturbam enquanto este valor ficam em 60 por cento para as mulheres.
  • É o segundo comportamento sexual, o coito (vulgar: "foda") é o primeiro, para aqueles que têm um sócio sexual regular.
  • Durante o adolescência, a porcentagem de ambos os sexos que relatam praticar a masturbação tem um aumento dramático na quantidade, especialmente para homens.
  • A maioria das pessoas continuam a se masturbarem na idade adulta, e muitos fazem assim durante toda a sua vida.
  • Nem há mesmo evidência nenhuma que as crianças que fazem auto-estimulação da região sexual fiquem em qualquer maneira prejudicada por ela.
  • A maioria de crianças encontram na estimulação ocasional de seus genitais um meio de sentirem prazer, mas não se pode entender que isto seja um comportamento "sexual" até que elas alcancem a infância ou a adolescência.

2. É prejudicial, vergonhoso ou pecado masturbar?

        A masturbação tem sido historicamente envolvida em muitos mitos sobre seus danos e sua natureza pecaminosa. A imagem negativa é antiga e comum a muitos povos em diferentes épocas.

        A origem latina da palavra, masturbare, é uma combinação de duas palavras. Manus (mão) e stuprare (desonrar, profranar), assim sendo originalmente masturbar significa "desonrar com a mão".

        A noção de coisa vergonhosa e suja implicada pela palavra permaneceu na tradução moderna, mesmo que as autoridades médicas estejam de acordo que a masturbação não causa nenhum dano físico ou mental.

        O motivo de que esta importante fonte de obtenção de prazer sexual ser considerada ainda por alguns com culpa e ansiedade é em primeiro lugar devido à ignorância do fato que a masturbação não é prejudicial à saúde e em segundo lugar devido aos séculos do ensino religioso que é um pecado.

        Muitos de nós receberemos mensagens negativas sobre a masturbação de nossos pais ou foram chegamos a ser punidos quando masturbamos quando crianças. O efeito cumulativo destas influências é geralmente confusão e culpa.

        A única possibilidade de que a masturbação possa ser prejudicial é quando se torna compulsiva. A masturbação compulsiva, bem como todos os comportamentos compulsivos, é um sinal de um problema emocional e necessita ser atendido por um especialista mental da saúde.

3. Masturbar é se auto-aceitar

        Ao contrário da opinião antiga e popular, a masturbação não conduz ao desembestamento da luxúria (sensualidade desenfreiada), não o faz ninguém ficar cego ou surdo, não dá resfriado, não torna ninguém louco, não faz crescer o cabelo em sua mão, não faz ninguém ficar gago, nem o mata.

        A masturbação é uma expressão natural e não provoca danos à sexualidade de homens e mulheres e é uma maneira perfeitamente boa experimentar o prazer sexual.

        De fato, alguns peritos discutem que a masturbação melhora a saúde sexual aumentando a compreensão de um indivíduo de seu próprio corpo e de como as suas zonas eróticas podem vir a satisfazê-lo, construindo e promovendo assim uma auto-aceitação.

4. Masturbação a dois

        Em um relacionamento sexual entre duas pessoas a masturbação pode ser realizada em um ou outro ou ambos, entendendo-se ser isto a masturbação mútua.

        Pode ser muito agradável como uma boa maneira do par discutir suas idéias e atitudes sobre a masturbação e para acalmar alguma  insegurança que um parceiro possa ter sobre a masturbação.

        A partir dessa comunicação verbal e física os dois podem vir ou a aumentar a freqüência da masturbação ou vir a aumentar a freqüência dos intercursos sexuais ("fodas"), partindo da mútua aceitação das habilidades e possibilidades de cada um. Portanto, em alguns relacionamentos, a masturbação pode se tornar mutuamente aceitável.

        Feito sozinho ou na presença de um sócio, o ato pode ser agradável e adicionar intimidade mútua se não for experimentado como uma rejeição. Como na maioria dos comportamentos, sem uma comunicação apropriada, o ato da masturbação pode ser usado como um sinal da raiva, alienação ou descontentamento com a maneira como o relacionamento está progredindo.

5. Masturbar é um ato natural

        Superar estereótipos negativos fornecidos pela sociedade e superar seus próprios sentimentos pessoais sobre a masturbação pode permitir que homens e mulheres tenham a liberdade para explorarem e experimentarem sua própria sexualidade de uma maneira confidencial, satisfazendo-se.

        Uma palavra do cuidado: de acordo com as práticas de um sexo mais seguro, a masturbação com um parceiro pode ser uma alternativa agradável à penetração oral, vaginal ou anal. Contudo convém evitar o contato com sêmen, sangue ou líquidos vaginais do seu parceiro, especialmente se você tem quaisquer cortes ou partes coloridas ou feridas.

        A masturbação  é um dos prazeres da existência humana. Infelizmente, na sociedade moderna, a masturbação não está sempre mencionada em termos positivos, e às vezes é difícil para pessoas começar a se informar sobre a masturbação e como iniciar a prática da masturbação.

6. Masturbação e ejaculação

        Para homens, a masturbação é o ato de estimular manualmente o pênis para produzir o prazer. É necessário ocorrer uma esfregação no pênis, em sua parte chamada glande ("cabeça")  ou em sua parte mais alongada ("talo") ou nessas duas partes ao mesmo tempo.

        Em homens com prepúcio (aquela pele que recobre a glande) durante a masturbação procede-se ao deslizamento desta pele para frente e para trás.

        A parte do pênis mais sensível ao excitamento sexual é o freio ("cabresto"), que é uma pele que inicia logo abaixo do orifício existente na cabeça do pênis.

        Se você notar alguém esfregando-se "lá embaixo" e esta pessoa parar repentinamente ao ser visto, ou se cobrir de repente, ou estiver na cama sozinho e se incomodar quando você o interromper na sua esfregação, pode estar acontecendo uma masturbação.

        Para adultos e alguns adolescentes mais velhos, a masturbação termina geralmente com ejaculação, em que o líquido que contém pilhas de esperma  é ejetado do pênis.

        A ejaculação é acompanhada geralmente pelo orgasmo, um sentimento de êxtase e satisfação que atinge o corpo todo e que para a maioria das pessoas é uma sensação tão fortemente poderosa e agradável que não pode ser comparado a nenhum outro sentimento que o corpo humano pode experimentar.

7. Por que masturbar?

        Se você tiver masturbado antes, você sabe a resposta a esta pergunta! Além ao sentimento assim tão bom, a masturbação alivia a tensão sexual que naturalmente com o passar do tempo o corpo produz até chegar a um excesso.

        O homem começa a ficar com "tesão", sua mente começa a ficar preocupada com pensamentos sexuais, eróticos. Este é um processo natural, seus órgãos sexuais produzem e acumulam o sêmen, e seu corpo responde fazendo com que você queira ejacular o sêmen para o corpo continuar a produzir mais sêmen.

        A saída deste estado de "tesão" do corpo é provocar uma emissão no "sonho-molhado" noturno, que é uma ejaculação durante o sono. Uma outra maneira é através de uma relação sexual com a introdução oral, anal ou vaginal do pênis.

        Ou então através da masturbação, onde você estimula o pênis para o enganar a "pensar" que você está tendo o intercurso ("foda").

        É importante anotar que apesar de você pode ter ouvido (com os boatos dos amigos ou das pessoas mais velhas),  a masturbação é completamente segura, você não começará uma gravidez (a menos que o sêmen atinja o interior do corpo feminino) e você não pode contrair nenhuma doença (estamos falando de parceiros saudáveis, sem lesões ou ferimentos no corpo).

        A masturbação não afeta o tamanho de seu pênis ou de sua habilidade de começar uma ereção.

        A masturbação não interfere na procriação, isto é, não interfere na forma, quantidade ou "força" procriativa do sêmen.

        É uma maneira preliminar bem agradável de se iniciar um intercurso ("foda")  quando você está pronto para ela e ter encontrado com a pessoa certa.

8. Que idade deve-se ter para masturbar?

        Se você puder ler este texto, então você tem idade bastante para masturbar! Contudo você pode ser demasiado novo para ejacular numa masturbação.

        A maioria de meninos começam a ejacular o sêmen quando estão entre as idades de 12 a 15 anos, embora alguns comecem a ejacular em uma idade mais atrasada ou mais adiantada.

        Você pode masturbar e ter orgasmo antes que você tenha a idade precisa para ter ejaculação. Entretanto, para a maioria dos homens, o orgasmo de melhor rendimento são aqueles que são acompanhadas pela ejaculação de uma quantidade boa de sêmen.

        Alguns homens gostam de se masturbar para poderem sentir um orgasmo extra-bom porque têm uma ejaculação maior de sêmen do que a média.

9. Quantas vezes masturbar?

        Para os primeiros anos depois que o homem descobre a masturbação, quase todo o tempo e bem freqüentemente ocorre a vontade de masturbar, mais vontade de masturbar do que jamais terão em suas vidas.

        Não é incomum aos 13 ou 14 anos de idade ocorrer a masturbação umas 3,  4,  5 ou 6 vezes por dia. Há um caso relatado nesta pesquisa de um homem que conseguiu ter  orgasmo com ejaculação 22 vezes durante um período de 24 horas.

        Por ser uma atividade tão prazerosa não se surpreenda que alguns caras se dediquem em poder se masturbar em demasiado. É possível que o tempo gasto se masturbando poderia ser posto a um uso mais produtivo.

        Mas se você o gasta na masturbação, não se preocupe sobre isso. Apenas aprecie esta época em que seu "tesão" está tão presente em sua vida e saiba que em um par de anos, você provavelmente naturalmente diminuirá em seus hábitos masturbatórios.

10. Há alguma coisa fisicamente errada com a masturbação?

        Nada em tudo. Anos atrás se acreditou que a masturbação causava a cegueira, a insanidade, nascer cabelo na palma da mão(!) ou outras desordens, mesmo que a ocorrência da masturbação, como agora, era extremamente comum.

        Todos os estas opiniões terríveis foram desaprovadas pela ciência moderna. Se aquelas histórias fossem verdadeiras, haveria uma quantidade terrível de pessoas cegas, loucas, etc. ao redor do mundo!

        O masturbador (vulgar: "punheteiro") não é doente, é não estamos falando tão somente para pessoas gays.

        Aquele que se masturba não prejudica a sua saúde de nenhuma maneira, e, naturalmente, encontrou uma boa forma de divertimento.

        Você já ouviu provavelmente alguém chamar algum punheteiro como um "zero" como um insulto, ou ouvido alguém implicar que ele mesmo não necessita de se masturbar porque conhece o sexo "real".

        Tenha a certeza de que este tipo de cara que insulta pratica a masturbação, e realmente sente-se culpado por fazer e usa então de insultos para fazer os outros sentirem-se culpados sobre masturbação.

        É um círculo vicioso horrível que mantém esta pessoa presa a todo tipo de sentimento de culpa, por causa da masturbação, esta coisa tão maravilhosa que nossos corpos podem fazer.

        O ciclo pode parar somente quando você se conscientiza que quase todos masturbam. Quando você puder dizer que você masturba ou ouvir que alguém masturba, sinta-se orgulhoso de você ou dele pois afinal realmente perdedor é a pessoa que encontra nos outros a oportunidade de fazer os outros infelizes.

Original em inglês em Ways to Masturbation

11. Casos da vida real

Masturbo-me há mais de 8 anos com muita freqüência. Gostaria de saber se isso pode afetar meu desempenho sexual, pois percebo que numa transa, após a primeira ejaculação, meu pênis não volta a ficar mais ereto, dificultando a continuidade do ato sexual.

Não há nada de errado com você nem com a masturbação! Existem mesmo muitos mitos sobre o assunto. Quem nunca ouviu dizer que a masturbação causa impotência, faz crescer pêlos, altera o tamanho do pênis ou algo parecido? Nada disso é verdade! Mas acaba deixando muita gente com algum tipo de encanação sobre o assunto.

Masturbação faz parte da vida sexual de qualquer pessoa, em qualquer idade. É uma forma válida de se sentir prazer. Na adolescência, ela tem ainda a importante função de proporcionar o conhecimento do corpo.

Você está preocupado porque seu pênis perde a ereção depois da primeira ejaculação. Pois saiba que a maioria dos homens ejacula apenas uma vez durante a transa. O corpo precisa de um tempinho para se recuperar e estar "pronto para outra". Esse tempo varia muito de uma pessoa para outra e têm alguns caras que nem perdem a ereção depois de gozar. Mas o mais comum é que você precise de um tempo para se "animar" de novo.

Então, se você já sabe que vai transar, que tal se poupar um pouquinho antes, hein? E vá pensando que se você gozar uma vez, terá que dar um tempo para chegar lá de novo. O importante não é o número de vezes que você ejacula, mas sim a qualidade da sua transa. E transa é muito mais que ejaculação. Certo?

Eu queria saber se masturbação todo o dia faz mal à saúde. Quais as vantagens e desvantagens de se masturbar com essa freqüência?

A masturbação não faz mal à saúde, não importa se praticada 1 vez por semana ou 3 vezes por dia. Se isso é feito na boa, sem culpa, e se não está trazendo problemas (como feridas no pênis), não há com o que se preocupar. As vantagens de se masturbar são o prazer que ela pode dar e um conhecimento maior do seu corpo. Você aprende a ter mais controle sobre a hora de ejacular e a se sentir mais à vontade com o seu "instrumento". Não existem desvantagens em se masturbar. Somente nos casos extremos, quando o homem só consegue ter prazer desse jeito e não tem mais vontade de transar é que ele precisa começar a se preocupar. Outra situação que pode, eventualmente, gerar preocupação acontece quando o homem deixa de fazer outras coisas na sua vida (estudar, sair, se divertir) para se masturbar. É como se ele ficasse dependente desse comportamento para aliviar a sua ansiedade. Aí vale a pena parar um pouco para entender o que está rolando.

Estava me masturbando e um de meus testículos subiu. Fiquei desesperado até conseguir fazê-lo descer de volta. Isso se repetiu outras vezes e agora não consigo me masturbar sem ficar segurando os testículos com a outra mão. Há algo de errado comigo?

Não é habitual que o testículo fique "subindo" a toda hora. O saco escrotal se comunica com o abdômen por uma pequena passagem chamada canal inguinal. Alguns homens têm esse canal um pouco maior do que o normal e isso pode permitir a passagem do testículo para o abdômen ou até mesmo de partes do intestino para o saco escrotal (hérnia). Nessa hora, o melhor é procurar um médico (cirurgião geral ou urologista) para avaliar o problema e saber se é necessário algum tratamento, talvez até uma pequena cirurgia. O procedimento é simples e sem maiores riscos, mas se o problema não for tratado, existe a possibilidade de complicações. Por isso, não perca tempo!

Jairo Bouer. ( Caliente )

 

ir para o topo da página